O token pode ser o futuro dos pagamentos

Foto: Forbes

Foto: Forbes

 

Todas as grandes empresas de tecnologia e varejo estão correndo atrás de novas formas de pagamento para o mundo mobile. Nos Estados Unidos é possível citar companhias como Samsung, Walmart, Google, PayPal e Apple, só para ficar entre as mais conhecidas. Soluções e aplicativos baseados no protocolo NFC parecem buscar mobilidade e ao mesmo tempo conveniência.

Infelizmente, o NFC é apenas uma tecnologia funcional, mas não oferece uma proteção completa. É necessária uma camada complementar de segurança e a resposta para combater a fraude no pagamento móvel são os tokens. Esse novo conceito traz algumas vantagens em relação os modos ‘tradicionais’ de pagamento nos dispositivos móveis.

Mas o que ele é?

A ‘tokenização’ é um processo no qual os números de cartão de crédito são substituídos por uma cadeia gerada aleatoriamente de caracteres alfanuméricos. A ideia é proteger contra a fraude durante qualquer tipo de transação. A Apple Pay usa uma forma de geração de tokens. A MasterCard e a Visa também aderiram a esta modalidade de pagamento.

Se este movimento segue em expansão, quais as vantagens?

Uma delas é a flexibilidade: o token não pode ser usado para além de um objetivo pré-definido. Ou seja, é inútil para hackers que tentam cometer fraude através de compras online ou por clonagem de cartões de tarja magnética. Outra vantagem é o uso instantâneo: antes da introdução dos tokens, a digitalização de cartões de pagamento envolve um processo de revisão e aprovação pelo banco, o que poderia levar algum tempo. Por fim, os lojistas e vendedores não precisam investir em novo hardware e software.

Será que esta tecnologia chega rápido ao Brasil? Aqui no país, muitos bancos usam o token com o SMS, para garantir a segurança das transações eletrônicas.

De acordo com o site MobiFeed “tokenização veio solucionar um problema difícil e complexo – o de equilibrar segurança com boa usabilidade, ou seja, geralmente sistemas mais seguros também acarretavam algumas dificuldades extras para os clientes”. Uma pesquisa da consultoria E.Life constatou que 43% dos usuários de dispositivos móveis não haviam efetuado compras de seus aparelhos por não se sentirem seguros.

Esta é uma das novidades que vamos acompanhar mais de perto aqui no Capital de Ideias.

 

Veja mais infos nos links:

http://thenextweb.com/insider/2015/05/15/why-tokenization-is-the-key-to-mobile-payment-security

http://www.bankrate.com/finance/credit-cards/will-tokenization-protect-against-card-fraud.aspx

http://www.virtual-strategy.com/2015/06/17/tokenization-new-security-standard-mobile-payment#axzz3ehjSyVGs

http://www.mobifeed.com.br/a-era-da-tokenizacao-e-a-compra-em-um-clique-por-felipe-lessa

j j j

Será que o futuro é open source?

Foto de uma placa de computador usada

Foto: Flickr / Alex Steiner

Vamos responder essa pergunta com duas matérias da revista americana Wired. O primeiro artigo mostra que até a Apple – conhecida pelo uso de plataformas proprietárias – está aderindo ao opensource nos seus sistemas. Para ser mais específico, a companhia está lançando uma nova linguagem de programação chamada Swift. E essa nova plataforma é aberta, o que deve ser um motivo de comemoração para desenvolvedores.

E a Apple não está sozinha nesta briga. A Microsoft recentemente abriu o código do framework .Net. O Google tem sob a sua tutela linguagens de programação como o Dart e a GO. O Facebook está experimentando com o Hack e D. Até a Mozilla está criando a linguagem Rust.

A segunda reportagem da revista analisa a revolução do GitHub, site que hospeda códigos de aplicativos. A publicação mostra que a preferência de desenvolvedores é claramente o modelo de código aberto.

Confira um trecho do post: “Como pessoas que antes eram apenas os usuários se tornam produtores, eles estão remodelando a cultura de código aberto. O GitHub está fazendo para o código aberto que a internet fez a indústria editorial: é a criação de um fosso cultural entre duas gerações”.

Confira mais nos links abaixo:
http://www.wired.com/2015/06/open-sourcing-no-longer-optional-not-even-apple
http://www.wired.com/2013/03/github

 

j j j